Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Últimas Petições:

latest

Chinês condenado a 20 meses de prisão por contrabando de escamas de pangolim

Um homem chinês foi detido em Hong Kong pelo tráfico de 48 quilos de escamas de pangolim, uma espécie em risco de extinção, o contrabando p...

Um homem chinês foi detido em Hong Kong pelo tráfico de 48 quilos de escamas de pangolim, uma espécie em risco de extinção, o contrabando poderia chegar ao valor de cerca de 21,5 mil euros.

Um homem de nacionalidade chinesa foi condenado em Hong Kong a 20 meses de prisão pelo contrabando de quase 50 quilos de escamas de pangolim, uma espécie em risco de extinção, noticiou esta terça-feira a imprensa local.



De acordo com o jornal South China Morning Post, Lin Jin-bao, de 44 anos, foi considerado culpado pelo tráfico de 48 quilos de escamas de pangolim, algo que poderia chegar a um valor de mercado de 189 mil dólares de Hong Kong (cerca de 21,5 mil euros).

O cidadão chinês, da província de Fujian (sudeste da China), foi detido no aeroporto internacional de Hong Kong a 13 de novembro, proveniente da República Democrática do Congo. As autoridades acreditam que teria Macau como destino final.

Os cientistas já classificaram todas as espécies de pangolins como estando em risco de extinção. Nas duas últimas décadas, o número destes mamíferos caiu cerca de 90% em todo o mundo.

De acordo com o Ministério Público responsável pelo caso, as escamas apreendidas na bagagem do cidadão chinês tinham origem em pelo menos 134 animais.

“É um sinal encorajador que os tribunais de Hong Kong estejam a aplicar penas mais severas para crimes contra a vida selvagem”, saudou o gestor de campanha do grupo de conservação WildAid Hong Kong, em declarações à agência de notícias Efe.

A China e Hong Kong têm procurado reprimir o comércio ilegal, embora o porto daquela região administrativa especial continue a ser um importante ponto de trânsito para produtos de espécies ameaçadas.

As escamas do pangolim são, há séculos, muito valorizadas na medicina tradicional chinesa. As escamas, feitas de queratina, semelhante às unhas, são frequentemente torradas e moídas em pó antes de serem adicionadas a uma mistura de ingredientes para supostamente curar artrite, promover a amamentação para as mães e aumentar a virilidade masculina.

Sob a lei de Hong Kong, a importação e venda de espécies ameaçadas e os seus produtos podem ser punidos com penas de prisão até dez anos de prisão e multa superior a um milhão de euros.


Fonte: Observador (texto original)
Fotografia: NATIONAL PARKS BOARD HANDOUT/EPA